weed grinders online

O Chiado Modernista

Foi através da Literatura e do Desenho Humorista que o Modernismo se introduziu no início do século XX, e encontrou no Chiado o seu espaço de acolhimento.

Foi nas tertúlias dos cafés e nos teatros que as primeiras manifestações surgiram. Nos cafés os escritores e artistas modernistas do grupo Orfeu debatiam a modernidade e chocavam os académicos conservadores.  Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, Almada Negreiros e Santa Rita-Pintor, são nomes indissociáveis da história do Chiado.

Na Rua Garrett, o edifício da antiga Chapelaria Gardénia, é um dos raros exemplares da arquitetura modernista. Este espaço, remodelado pelo arquiteto Raul Lino no início do século XX, tem elementos de tipo Arte Déco, uma das primeiras vias de introdução do Modernismo na arquitetura em Portugal.

O Café A Brasileira do Chiado é um dos locais mais emblemáticos deste movimento de modernidade de vanguarda. Tal como noutros cafés da época, aqui se reuniam os intelectuais da nova geração e se divulgaram as sementes da inovação literária e cultural. Esta vivência continuou a manter-se e persiste. A decoração e, sobretudo, a notável coleção de quadros de pintores portugueses do século XX que se integram no conjunto, constituem um dos espaços artísticos mais representativos.

Na esplanada do Café, na via pública, a Estátua de Fernando Pessoa representa o poeta à mesa do café, um gesto cultural típico da cultura lisboeta. Da autoria de mestre Lagoa Henriques, perpetua a memória de uma das figuras de referência do Modernismo.

Entre na Rua António Maria Cardoso e detenha-se na fachada do antigo Cinema Chiado Terrasse, o primeiro edifício projetado para cinema em Portugal. Na fachada desenhada ao gosto do ecletismo do início do século XX, pressentem-se os sinais de um cosmopolitismo inovador.

Um pouco à frente, o Teatro São Luíz, construído no final do século XIX e renovado durante a República, merece paragem e visita, para evocar os acontecimentos ligados à vanguarda modernista liderada pelo escritor Almada Negreiros e pelo pintor Santa Rita. Aqui se realizou, em 1917, a célebre sessão futurista, que tanto chocou a sociedade conservadora da época.

Descendo pela Travessa dos Teatros, detenha-se no Largo de São Carlos. Inserida no conjunto das fachadas localizadas a nascente, fica a Casa onde nasceu Fernando Pessoa. O ambiente deste espaço e os acordes do sino da torre da Igreja dos Mártires, que se vislumbra sobre o casario, são frequentemente referidos na obra do poeta.

Termine a sua visita no Museu do Chiado-Museu Nacional de Arte Contemporânea, onde a coleção de arte moderna e contemporânea, as exposições temporárias e as actividades culturais do museu são hoje o corolário de um percurso artístico de desenvolvimento e consequências do Modernismo e da Modernidade, no último século. Da coleção do Museu, fazem parte obras de Santa Rita, seguidor da estética futurista e de Amadeu de Souza Cardoso, o pintor português que esteve ligado ao desenvolvimento do Cubismo em Paris.

Percurso
Gardénia
Brasileira do Chiado
Estátua Fernando Pessoa
Antigo Cinema Chiado Terrasse (edifício do Consulado do Brasil)
São Luiz Teatro Municipal
Largo de São Carlos
Casa onde nasceu Fernando Pessoa
Museu do Chiado - MNAC

Duração
1h30