Cronologia

Período

Séc. II – Séc. V

– Implantação de vilas romanas e equipamentos de lazer na zona.


Séc. V – Séc. XIII


– Desenvolvimento das explorações agrícolas.

1147
– Instalação do arraial dos cruzados, durante a conquista de Lisboa ao Mouros, por D. Afonso Henriques.
– Fundação da igreja e paróquia de Nossa Senhora dos Mártires.

1217
– Fundação do Convento de São Francisco.

1218
– Fundação do Convento da Trindade.

1279
– Instalação da Casa do Espírito Santo da Pedreira, importante irmandade de mercadores ricos.

1283
– Ampliação do Convento da Trindade, com donativos da Rainha Santa Isabel.

1290
– Instalação de casas da Universidade (núcleo residencial) na Calçada do Sacramento.


Séc. XIV

1373-75
– Construção do troço ocidental da Cerca Nova ou Muralha Fernandina, com as Portas de Santa Catarina e a Porta do Duque.

1389
– Fundação do Convento do Carmo.


Séc. XV

– Urbanização da zona do Carmo.
– Consolidação da estrutura interna e aumento da população na envolvente exterior da muralha.

1412
– Criação da Freguesia de São Paulo.

1500
– D. Manuel ordena a destruição de olivais nesta zona, dentro dos muros, para promoção de loteamentos
– Construção do Palácio dos Condes de Vimioso, na atual Rua do Alecrim.


Séc. XVI

1502
– Urbanização da Vila Nova do Olival, na cerca do Convento da Trindade.

1506
– Construção da Ermida de São Roque.

1513
– Início da urbanização da zona a ocidente das Portas de Santa Catarina: Bairro Alto e Santa Catarina.
– Urbanização de Vila Nova de Andrade em terras que pertenceram ao médico e astrólogo judeu Gedelha Palaçano.

1518
– Fundação da Igreja de Nossa Senhora do Loreto e início das obras.

1531
– Por ocasião do terramoto que atingiu Lisboa, o registo do número de moradores na zona exterior à muralha revela um aumento substancial.

1551
– Criação da paróquia e da freguesia do Loreto (freguesia dos italianos).

1552
– Inauguração da Igreja do Loreto (incendiada em 1651, reconstruída em 1676 e novamente restaurada depois do terramoto de 1755, abrindo ao culto em 1785).

1553
– Instalação dos jesuítas em São Roque

1556
– Abertura do Postigo da Trindade na cerca Fernandina pelos frades trinos, em frente da porta do mosteiro.

1557-59
– Criação da paróquia de Santa Catarina.

1566
– Início da construção da Igreja de São Roque e da Casa Professa da Companhia de Jesus.

1577
– Demolição da Torre Norte das Portas de Santa Catarina.

1584
– Criação da Paróquia do Sacramento.


Séc. XVII

1617
– Fundação do Hospital da Ordem Terceira de São Francisco.

1622
– Criação da freguesia das Mercês, por desmembramento das freguesia dos Mártires e do Loreto.

1629
– Fundação da Ordem Terceira do Carmo.

1633
– Fundação do Convento dos Agostinhos (Boa-Hora).

1641
– Construção da Ermida de Nossa Senhora do Alecrim.

1665
– Abertura da Rua Nova do Almada.

1671
– Criação da Freguesia do Sacramento.
– Os padres Oratorianos da Congregação do S. Filipe Nery instalam-se no Convento do Espírito Santo da Pedreira.

1680
– Fundação do Convento de São Pedro de Alcântara pelo Marquês de Marialva.

1681
– Fundação do Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Cardais, para Carmelitas descalças.

1685
– Inauguração da Igreja do Sacramento, reedificada em 1772 e 1807.

1697
– Criação da Freguesia da Encarnação (com integração da Freguesia do Loreto em 1708).

1698
– Demolição da Torre Sul das Portas de Santa Catarina.

1698-1718
– Construção da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, reconstruída após o terramoto de 1755 e reaberta ao culto em 1785.


Séc. XVIII

1702
– Demolição total das Portas de Santa Catarina.

1707
– Incêndio na Igreja do Convento de São Francisco (seguido de outro, em 1741, que destruiu a Livraria).

1708
– Inauguração da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação.

1726
– Incêndio do Palácio Valença.

1747
– Construção do Palácio Ludovice, junto ao Miradouro de São Pedro de Alcântara (Arqt. João Frederico Ludovice).

1755
– Grande ruína do Chiado, devido ao terramoto.
– Início do processo de recuperação da Baixa, com extensão ao Chiado (coordenação do engenheiro Manuel da Maia; plano dos arquitetos Eugénio dos Santos e Carlos Mardel).

1768
– Doação das Casas da Companhia de Jesus, extinta em 1759, à Misericórdia de Lisboa para estabelecimento da Roda e do Hospício dos Enjeitados.

1769
– Início da construção da nova Igreja dos Mártires, na Rua Garrett, concluída em 1784 (Arqt. Reinaldo Manuel dos Santos).

1771-80
– Construção do Chafariz do Loreto no Chiado (destruído em 1858).

1773
– Instalação da Livraria Bertrand no Chiado.

1777
– Início da construção do Palácio Quintela/Farrobo na Rua do Alecrim.

1780
– Instalação da iluminação pública do Chiado, com lamparinas de azeite.

1784
– Abertura do Botequim Talão, antecessor do Restaurante Tavares, na Rua da Misericórdia.

1785
– Reabertura das Igrejas do Loreto e de Nossa Senhora da Encarnação (só terminada no séc. XIX).

1789
– Instalação da capela da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, no primeiro andar do n.º 25 do Largo do Carmo.

1791
– Construção do Palácio do Loreto pelo proprietário Francisco Dias Ferreira (em 1820 é adquirido pelo industrial e financeiro José Ferreira Pinto Basto).

1792-93
– Construção do Teatro de São Carlos (Arqt. José da Costa e Silva).
– Abertura do estabelecimento de víveres Eduardo Martins, na antiga Rua de São Francisco e transferido para o Chiado, em 1802.


Séc. XIX

1820
– Abertura do Café Marrare na Rua Garrett.

1823
– Abertura do Restaurante Tavares.

1833
– Abertura da Casa José Alexandre, na Rua Garrett.

1834
– Extinção das Ordens Religiosas e início da transformação dos antigos conventos.

1835
– Destruição do Convento da Trindade para urbanização da zona.
– Venda do Convento do Espírito Santo ao Barão de Barcelinhos.

1836
– Instalação da Biblioteca Pública e da Academia Nacional de Belas Artes no Convento de S. Francisco.
– Instalação da Cervejaria Trindade no antigo Convento da Trindade.

1837
– Abertura da Farmácia Andrade.

1838
– Abertura da Rua Nova da Trindade.

1839
– Demolição da Igreja de São Francisco e utilização das colunas na fachada do Teatro Nacional

1840
– Abertura da Livraria Férin.

1841
– Incêndio e desmantelamento do Palácio Bragança, onde funcionava a Hospedaria Braganza, mais tarde, Braganza Hotel.

1846
– Inauguração do Teatro Ginásio, com remodelação em 1852.
– Fundação do Grémio Literário.
– Transferência da Pastelaria Ferrari para o Chiado.

1855
– Instalação da Fábrica de Cerveja Jansen nos antigos terrenos do Marquês de Valença, junto da qual funcionou, mais tarde, a Cervejaria Jansen, na atual Rua António Maria Cardoso.

1859
– Início da urbanização da Praça Camões.

1861
– Instalação da Casa Havaneza no Chiado.

1863
– Fundação da Associação dos Arquitetos Civis e Arqueólogos Portugueses, com sede nas Ruínas do Convento do Carmo.

1864
– Construção do Jardim de São Pedro de Alcântara.
– Fundação do Museu Arqueológico do Carmo.
– Construção do edifício conhecido como Casa do Ferreira das Tabuletas (Largo Rafael Bordalo Pinheiro) por Manuel Moreira da Silva, proprietário da Cervejaria Trindade (azulejos da fachada da autoria de Luis Ferreira).

1867
– Inauguração do Monumento a Luís de Camões (escultor Vítor Bastos), na Praça do mesmo nome.
– Inauguração do Teatro da Trindade (Arqt. Miguel Evaristo Gomes).

1871
– Realização das Conferências do Casino, no Casino Lisbonense, no Largo da Abegoria (atual Largo Rafael Bordalo Pinheiro).

1874-75
– Instalação do Grémio Literário no atual edifício da Rua Ivens.

1877
– Instalação da Joalharia Leitão na Rua Nova da Trindade.

1878
– Arranjo do Miradouro de Santa Catarina.

1880
– Identificação toponímica da Rua Garrett (antiga Rua Direita das Portas de Santa Catarina).
– Grandes festas no Chiado por ocasião do centenário de Camões.

1882
– Fundação do Turf Club na Rua Garrett.
– Abertura do Grande Hotel Borges na Rua das Portas de Santa Catarina (atual Rua Garrett).

1883
– Instalação do Real Ginásio Clube Português na Rua Nova dos Mártires.

1885
– Inauguração do Elevador da Glória.

1886
– Abertura da Barbearia Campos no Largo do Chiado.

1888
– Fernando Pessoa nasce a 13 de Junho (Largo de S. Carlos, n.º 4).
– Instalação da Casa “Paris em Lisboa” na Rua Garrett.

1889
– Abertura dos Armazéns Eduardo Martins na Rua Garrett.

1892
– Abertura da Casa Ramiro Leão (remodelada em 1926) na Rua Garrett
– Inauguração do Elevador do Chiado, encerrado em 1912.
– Inauguração do Elevador da Bica.
– Fundação do Real Clube Tauromáquico.

1894
– Inauguração do Teatro Rainha D. Amélia (atual Teatro S. Luis).
– Abertura dos Grandes Armazéns do Chiado, remodelados em 1907.

1898
– Abertura do Museu do Thesouro da Capela de São João Baptista, futuro Museu de São Roque.

1900
– Início da publicação do jornal republicano “O Mundo” na Rua do Mundo (atual Rua da Misericórdia).


Séc. XX

1902
– Inauguração do Elevador de Santa Justa (engenheiro Raul Mesnier du Ponsard).
– Inauguração da “Patisserie Bénard”.

1903
– Inauguração da iluminação elétrica no Chiado.
– Inauguração da estátua de Eça de Queiroz, no Largo Barão de Quintela (escultor Teixeira Lopes)
– Abertura da Pastelaria Marques, na Rua Garrett.

1904
– Abertura dos Grandes Armazéns do Chiado.
– Inauguração do busto do Visconde Valmor no Largo da Academia Nacional de Belas Artes (escultor Teixeira Lopes).
– Inauguração do Grandes Armazéns Grandella na Rua Nova do Carmo (Arqt. Georges Demay).

1905
– Abertura do Café A Brasileira, remodelado em 1908 e renovado em 1922 (Arqt. Norte Júnior).

1906
– Fundação da Sociedade de Propaganda de Portugal (Touring Club de Portugal), instalada no Rua Nova do Almada, junto à Rua Garrett.

1908
– Inauguração do Chiado Terrasse, reconstruído em 1910 e restaurado em 1925 (Arqt. Tertuliano de Lacerda Marques).

1909
– Abertura da Loja de perfumes “Au Bonheur des Dames” na Rua do Carmo (instalação e decoração de Jorge Pereira).

1911
– Criação do Museu Nacional de Arte Contemporânea.

1914
– Inauguração da carreira de eléctricos entre o Largo Camões e a Estrela.
– Instala-se no Chiado a Companhia dos Grandes Armazéns Alcobia (Rua Ivens).

1915-21
– Intervenções dos escritores e artistas modernistas nos cafés e teatros do Chiado (Cervejaria Jansen, Café A Brasileira, Teatro da República e Chiado Terrasse).

1917
– Os Pintores Almada Negreiros e José Santa Rita organizam uma Sessão Futurista no Teatro da República (atual teatro São Luiz), onde Almada Negreiros proferiu o “Ultimato Futurista”.
– Arqt. Raul Lino projeta a Chapelaria Gardénia do Chiado (Rua Garrett, 54).

1919
– Benjamim Ferreira abre a Alfaiataria Picadilly, na Rua Garrett.

1923
– Inauguração do Teatro da Trindade, após obras de remodelação.

1925
– Abertura do Teatro Ginásio (Arqt. João Antunes).
– Inauguração da estátua do poeta Chiado, no Largo do Chiado (escultor António Augusto da Costa Mota)
– Abertura do Café Chiado (Rua Garrett), encerrado em 1963.
– Abertura da Luvaria Ulisses (Rua do Carmo).

1928
– Início das sessões de cinema no Teatro São Luiz.

1930
– Abertura da Casa Pereira na Rua Garrett.

1937
– Rádio Renascença começa as emissões regulares, a partir das as suas instalações na Rua Capelo.

1940
– Abertura do Circulo Eça de Queiroz.

1941
– É apresentado o filme “O Pai Tirano”, realizado por António Lopes Ribeiro, com cenas gravadas nos Armazéns Grandella.

1943
– Instalação da Livraria Sá da Costa na Rua Garrett.

1945
– Criação do Centro Nacional de Cultura.

1946
– Instalação do Instituto do Vinho do Porto no Palácio Ludovice.

1946-48
– Obras de remodelação da Cervejaria Trindade.

1952
– Abriu na Casa Jalco (Rua Ivens) a Exposição Surrealista “Intimidades nos Armazéns do Chiado” (Fernando Lemos, Fernando de Azevedo e Marcelino Vespeira).

1953
– O Grupo “Amigos de Lisboa”, uma associação cultural fundada em 1936, instala-se na Rua Garrett, transferindo-se em 1953 para o Largo Trindade Coelho.

1956
– Abertura da Loja modernista “A Rampa” no Largo Rafael Bordalo Pinheiro n.º 15 (Arqt. Conceição Silva).

1963
– Abertura da Loja da Casa da Sorte na Rua Garrett/Rua Ivens (projeto do Arqt. Conceição Siva; decoração cerâmica do pintor Querubim Lapa).

1969
– Abertura da Galeria S. Francisco (Galeria de arte), na Rua Ivens.

1972
– Abertura da Loja Jerónimo Martins no Chiado.

1974
–  Acontecimentos históricos no âmbito da Revolução de 25 de Abril: renuncia do Primeiro-Ministro Marcelo Caetano, no Quartel do Carmo e extinção da PIDE-DGS (Policia Política), instalada na Rua António Maria Cardoso.

1987
– Inauguração da estátua “O Cauteleiro” no Largo Trindade Coelho (escultora Fernanda de Assis).

1988
– Grande incêndio do Chiado e destruição total de 18 edifícios
– Inauguração da estátua de Fernando Pessoa, da autoria do escultor Lagoa Henriques, diante do Café A Brasileira.

1989
– Aprovação do Plano de Recuperação da Zona Sinistrada do Chiado, da autoria do Arqt. Álvaro Siza Vieira.

1991
– Início da reconstrução do Chiado.

1994
– Inauguração do Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea, no âmbito do Programa Lisboa Capital Europeia da Cultura.

1996
– Inauguração do Museu da Farmácia, junto ao Miradouro de Santa Catarina

1998
– Inauguração da Estação de Metro Baixa/Chiado (Arqt. Álvaro Siza Vieira; Pintor Ângelo de Sousa).
– Início do restauro e requalificação do Teatro São Luiz, incluindo o antigo Jardim de Inverno e a Sala-Estúdio Mário Viegas.

1999
– Abertura do Centro Comercial Armazéns do Chiado.
– Abertura do Café no Chiado no local da antiga Livraria Morais Editora.
– Trabalhos arqueológicos por ocasião do restauro do Monumento a Luís de Camões, puseram a descoberto os vestígios do Palácio dos Marqueses de Marialva.

Séc. XXI

2002
– Centro Nacional de Cultura lança a Festa no Chiado.
– Abertura do espaço Fidelidade Arte, no antigo Palácio do Loreto ou Ferreira Pinto Bastos no Largo do Chiado.

2007
– Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa lança o Programa GAB/Galerias Abertas das Belas Artes.
– Abertura da Loja A Vida Portuguesa na Rua Anchieta.

2008
– Inauguração do Monumento “Homenagem a Pessoa” (escultor belga Jean Michel Follon) no Largo de S. Carlos.

2009
– O Teatro de S. Carlos lançou o “Festival Ao Largo”, que se realiza anualmente no Largo de S. Carlos.
– O Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea lançou o Programa Noites de Verão.

2015
– A Câmara Municipal de Lisboa lança o Programa “Lojas com História”, que inclui diversas lojas do Chiado.
– Abertura do Museu da Guarda Nacional Republicana nas instalações do antigo Convento do Carmo.

2016
– Abertura do Palácio Chiado, no edifício do antigo Palácio Barão de Quintela.

2017
– Inauguração da Estátua do Padre António Vieira no Largo Trindade Coelho (escultor Marco Telmo Areias Fidalgo).

2019
– Lançamento do livro “Bénard – um século e meio a adoçar Lisboa”, por ocasião do 150º aniversário da Pastelaria.