Agenda

Literatura
15 jun | 16:00
Academia Portuguesa de Ex-Líbris
Rua Almirante Pessanha, n.º 1 1200-002 [Salão do R/c (ao Sacramento, Chiado)]

“Dona Amélia de Leuschtemberg, Imperatriz do Brasil e Duquesa de Bragança”

No sábado, 15 de junho, terá lugar uma sessão especial da nossa Academia organizada com o Real Circolo Francesco II di Borbone e o Imperial Instituto São Pedro de Alcântara, com a apresentação do último livro de Cláudia Thomé Witte seguida de conferência e de sessão de autógrafos pela própria.

Sinopse

«Baseada em uma pesquisa de vinte anos, abrangendo mais de 50 arquivos públicos e particulares em dez países, a apresentação dá a conhecer a figura de Dona Amélia de Leuchtenberg, segunda esposa de Dom Pedro IV.

Nascida no vice-reino da Itália, ainda durante o fausto do império napoleônico como neta da imperatriz Josefina, Amélia cresce na Baviera, casa-se com o imperador do Brasil, país onde vive por apenas um ano e meio, e acompanha o marido em seu retorno à Europa após a abdicação ao trono brasileiro em 1831. Chega em Portugal dois anos mais tarde trazendo a enteada, Dona Maria II, após um período de exílio na França.

Vasta documentação inédita permite reconstituir o período final das Guerras Liberais visto de dentro dos bastidores do governo e acompanhar os anos que seguem a morte de Dom Pedro e a subsequente consolidação da monarquia constitucional. Optando por permanecer em Portugal, Dona Amélia deixa como legado décadas de dedicação à infância desvalida e a instituição de uma fundação no Funchal que vem a ser o primeiro sanatório do mundo para tratamento da tuberculose e, durante muitos anos, o único destinado ao acolhimento exclusivo de população carente. A apresentação conta ainda com rica iconografia inédita recolhida durante as pesquisas..».

«Cláudia Thomé Witte é natural de São Paulo, Brasil. Licenciada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, pesquisa, desde 2003, o período do Primeiro Reinado brasileiro e das Guerras Liberais em Portugal, com ênfase nas personagens femininas da realeza. Foi consultora em história imperial brasileira junto à Fundação Maria Luísa e Oscar Americano, no Brasil, e participou da exumação dos imperadores brasileiros D. Pedro, D. Leopoldina e D. Amélia, ocorrida em 2012, ambos em São Paulo. Foi co-autora dos livros O Brasil como Império (2009) e D. Leopoldina, a história não contada (2017). Publicou pela Fundação da Casa de Bragança, a biografia Maria da Glória, uma princesa brasileira no trono de Portugal (2019), pelo Freundeskreis Leuchtenberg na Alemanha, Amélie von Leuchtenberg (2021) e, em coautoria com Paulo Rezzutti, Sissi e o último brilho de uma dinastia (2022), pela editora Leya Brasil. Em 2023, lançou pela mesma editora, Leya Brasil, a biografia D. Amélia, a história não contada, obra que foi ampliada e reeditada em Portugal pela editora By the Book com o título Amélia de Leuchtenberg, Imperatriz do Brasil, Duquesa de Leuchtenberg, publicada em abril de 2024.».

>> Mais informações